Nossa
Localização

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Quais foram as promessas de prosperidade em Abrãao?

Promessa


Deus fortaleceu grandemente Abraão com as promessas da Aliança `
“Prosperidade abundante, Posteridade e Importância.
(Poder e Fama)


Texto Bíblico Gn 12:3 - 13:4 - 13:17 - 15:5.6 -
Quatro Grande Obras Deus iria realizar na Vida de Abraão.
Quando estudamos a vida de Abraão, descobrimos que esse grande homem de Deus esperou mais de vinte e cinco anos a vinda da fé sobre ele. A Fé que realiza grande coisas.

1ª Obra que Deus realizaria na vida de Abraão “A Promessa da Benção Material ”
Gn 12:3 “Abençoarei os que o abençoarem e Amaldiçoarei os que o amaldiçoarem”.
Aqui vemos o ilustre viajante que partiu da Mesopotânia fora divinamente comissionado a entrar no meio de pessoas complemente estranhas de alguma nova terra. Ele e seus descendentes constituíram um canal pelo qual Deus abençoaria todos os povos da terra.
“De ti farei uma grande nação, e te abençoarei e te engrandecerei o nome”.
Deus fortaleceu grandemente Abraão com as promessas da Aliança “Prosperidade abundante, Posteridade e Importância. (Poder e Fama)
A Promessa da divina benção garantia a Abraão tudo o que ele pudesse desejar.
Cada necessidade seria suprida.
Até os vizinhos hostis viriam a considera-lo como líder do povo de Deus. Através dele todos os povos da terra receberiam bênçãos.
E o seu nome seria respeitado e reverenciado por toda a parte.
Hoje Abraão é reconhecido e respeitado como o “Pai” dos cristãos, judeus e maometanos. Deus escolheu Abraão e seus descendentes para levar o seu Evangelho ao Mundo.
Da linhagem de Abraão, viria cristo, para cumprir os propósitos divinos. E através dos homens e mulheres “nascido de novo”, seus ideais seriam cumpridos.
O Plano de Deus estava tomando forma.

2ª Obra que Deus iria realizar na vida de Abraão era -
A benção da Comunhão
Gn 13:4 “Abraão chegou ao Altar que havia construído e adorou ao Deus Eterno “a primeira preocupação era o nome de Deus”
Quando Abraão renovou a sua comunhão com Deus, estava pronto para um vida nova.
Abraão era imensamente rico. Gado, ouro e prata, ele os possuía em abundância.
Seu grupo, seus acompanhantes crescera tanto que surgiu um sério problema entre eles. Com tanto gado, com tantas ovelhas, precisava movimentar-se rapidamente para que houvesse suficiência de água e pasto.
E no vers. 5 a 8 “Relata as brigas entre os grupos.
Logo vemos que o grupo de Ló seu sobrinho teve dificuldade com o grupo de Abraão.
Havia muitas discussão, luta e desacordo entre os dois grupos.
O tio Justo não podia permitir que tal conduta indecente continuasse.
Disse: “Somos Parentes” V.8
Tal comportamento não era necessário nem útil e complemente fora de lugar na vida dos representantes de Deus.
No interesse da Paz e harmonia, Abraão fez uma generosa sugestão a Ló, dizendo que ele escolhesse qualquer seção ou seja lote da terra que preferisse e que se dirigisse para lá, deixando o restante do território para Abraão.
A natureza egoísta de Ló manifestou-se imediatamente, ele escolheu na sua ganância o vale do Rio Jordão que era bem suprido de água. Ali, a vegetação tropical abundava junto as águas pródigas do rio.
O vale do Jordão era suficientemente largo e fértil para garantir a prosperidade e abundância por todos os dias que estavam pela frente.
Entretanto, as cidades de Sodoma e Gomorra estavam dentro da área que Ló escolheu e elas era exatamente corruptas.
A escolha errada de Ló comprovou-se desastrada.
Quando o homem não tem compromisso com Deus seu fim é terrível.
V.12 “ Ló ia armando suas tendas até sodoma.
1º ele olhou para Sodoma.
2º depois armou suas tendas até Sodoma
3º mais tarde habitou em Sodoma.
Esses são os passos pelos quais o homem e sua família caminham para a degeneração e destruição certas.
No vers. 14 à 17 registra nessa continuidade mais uma das obras de Deus na vida de Abraão.
3ª Obra que Deus iria realizar na vida de Abraão. “A Obra da Conquista”
V. 17 “Agora vá e ande por esta terra, de norte a sul e de leste a oeste, pois eu darei a você.”
Nesta notável comunhão. Disse o Senhor a Abraão ergue os olhos e olha”. Nesta notável comunicação, Ló e Abrão são colocados em contraste direito.
Ló, o pecador fraco, egoísta e ganancioso escolheu para si aquilo que considerou de mais valor, bens terrestre.
Jeová Jiré escolheu para Abraão.
Como recompensa por seu ato de comunhão, de amor, o patriarca recebeu a terra de Canaã.
Deus lhe deu o título de propriedade da terra e convidou-o abrir bem os olhos e apreciar os tesouros que se estendiam diante dele em todas as direções. Da colina perto de Betel, ele pôde desconfiar lindos panorama de beleza incomum. Tudo era seu. O valor da promessa da comunhão traz possessão conquista.
4ª Obra que Deus realizaria na Vida de Abraão, ele seria chamado
“ Pai da Fé” Gn 15:5.6
V.5 “Olhe para o céu e conte as estrelas, se puder. Pois bem, será esse o número dos seus descendente.
V.6 “Abraão pôs sua confiança no Deus Eterno e por isso recebeu a provação do Eterno”. Creu Abraão no Senhor foi isso que deu o título a Abraão como Pai da Fé.
Durante toda a sua vida Abraão manifestou uma forte confiança em Deus.
Foi fácil permitir que esta confiança brilhasse nas horas de triunfo.
Quando ele se lembrava da maravilhosas promessas de Deus, era um conforto saber que o cumprimento delas seria na sua semente e por meio dela.
Mas quando ele envelheceu e o fim da sua vida se aproximou enquanto ele continuava sem filhos, sua fé nas promessas se abalou.
Como Deus poderia agora cumpria suas promessas?
Quando as cumpriria? Abraão precisava de certeza.
Quando Abraão estava fazendo essas perguntas a Deus.
Senhor Eu estou com cem anos, Sara minha esposa com 90 anos, quando cumprirá em a promessa da posteridade? Quando terei filhos Senhor?
Então a Palavra de Deus veio no coração de Abraão: Abraão teve uma visão, e resta visão, Deus disse:
V.1 Não temas...Eu sou teu escudo, e teu galardão. Será sobremodo grande.
Primeiro para Deus realizar essa grande Obra da fé, Abraão precisava abandonar o temor confiando inteiramente no Senhor.
Esta figura de Deus como escudo tinha o intuito de proporcionar esperança, coragem e fé.
Mas defesa não bastava.
Abraão precisava ter diante dos seus olhos a certeza de uma recompensa que lhe proporcionasse a maior das alegrias.
Em momentos de perigo ou desespero Abraão devia crer na proteção de Deus, no cumprimento de suas promessas e no ilimitado numero do seus descendentes.
Era um desafio de uma fé sublime.
E Abraão era capaz de crer porque ele conhecia aquele que fizera as promessas.
Ele sabia que podia confiar em Jeová.
Embora não houvesse nenhuma criança no seu Lar, Deus encheria a terra com aqueles que olhariam para Abraão como seu pai.
Segundo passo que Abraão precisaria dar para Deus realizar a obra da fé, Abraão precisava ser submisso confiante a vontade de Deus esse seira o elemento básico na verdadeira religião.
V.6 Isso lhe foi imputado para a Justiça”.
A qualidade daquele que anda direito diante de Deus é preciosa aos olhos do Senhor.
Abraão foi justificado, isto é, considerado justo, com base na sua fé.
Imediatamente Jeová prontificou-se a ratificar a aliança com o homem que se submetera a vontade divina.
Só o Senhor poderia cumprir suas promessas.
Ele daria a Abraão descendentes tão numerosos quanto as estrelas e eles daria uma grande terra, a se estender da porta do Egito até o grande Eufrates.
Essa é a recompensa de quem Deus escolhe para realizar uma grande Obra, por que Deus vela pela sua Palavra. Deus sempre cumpri.


Voltar aos Estudos deste ano












Home   |   Notícias   |   Histórico   |   Eventos   |   Fale Conosco

Rua Rio São Francisco 566, Esquina Rua Rio Jacuí - Jardim São Francisco
Maringá - PR

Fone: |44|3041-4482